Noticias

AOFA nas Comemorações do Dia do Estado-Maior-General das Forças Armadas (EMGFA)

A convite do Almirante CEMGFA a AOFA esteve presente nas Comemorações do Dia do EMGFA que se realizaram em Belém. A representação da AOFA foi assegurada pelo Presidente do Conselho Nacional, Tenente-Coronel António Costa Mota

Presidida pelo Primeiro Ministro, a Cerimónia contou com a presença de várias dezenas de Entidades Militares e Civis.

A cerimónia, singela mas plena de significado, permitiu recordar de forma pública a relevância das Forças Armadas Portuguesas nos mais variados cenários, internos e externos, nos quais operam em permanência e com elevadíssima qualidade, considerado o extremo brio, profissionalismo, e capacidades amplamente reconhecidos aos Militares Portugueses.

Discursaram, na circunstância, o Almirante CEMGFA que enaltecendo os Homens e Mulheres que Servem Portugal nas Forças Armadas, desfilou toda uma série de exemplos muito concretos que fazem dos Militares Portugueses um verdadeiro exemplo interno e os maiores embaixadores de Portugal um pouco por todo o mundo. Não deixou, no entanto, de realçar, as graves lacunas de Efetivos, Meios Logísticos e Financeiros com que se debatem as Forças Armadas, razão pela qual as Missões se vão cumprindo cada vez mais dado o exemplar espírito de missão, disciplina, coesão e esforço pessoal e familiar que é requerido aos Militares Portugueses.

Discursou igualmente Sua Excelência o 1º Ministro, reforçando as já conhecidas promessas de investimento nas Forças Armadas, dando agora como próximo prazo o ano de 2023 para que as metas de investimento de 2% do PIB, conforme acordos estabelecidos há já vários anos no âmbito da NATO, venham a ser concretizadas. Mais Navios para a Marinha, um dos quais o Navio Polivalente Logístico, ou os aviões pesados KC390, sempre na perspectiva de duplo-uso, parecem assim ser as razões encontradas para os anunciados investimentos, a prazo, nas Forças Armadas. Sobre as inúmeras lacunas, dificuldades e legítimos Interesses, Direitos e Expecttivas dos Militares, infelizmente e uma vez mais não foram anunciadas quaisquer medidas o que faz antever a intenção da continuação das já bem conhecidas políticas que ao longo das últimas décadas conduziram as Forças Armadas à situação pouco menos que dramática em que se encontram, quer ao nível de Efectivos quer, tão ou mais relevante, do descontentamento que se verifica nas Fileiras.

Previous post

Psicóloga Rita de Carvalho

Next post

A AOFA na receção aos Militares da 3ª FND na República Centro-Africana (RCA)

admin